Como tirar carteira de motorista na Holanda?

Eu moro no país das bicicletas, mas adoro dirigir. Apesar do custo elevado para manutenção de um automóvel nas Terras dos Moinhos, o carro é o meu principal meio de transporte. Somente nos últimos meses, após a minha mudança para uma cidade que possui uma estação de trem, é que comecei a me familarizar com o dueto bicicleta – trem.  Se você também gosta de dirigir, vou lhe contar como foi a minha experiência por aqui.

O primeiro passo é saber o seu tipo de visto de permanência na Holanda. A forma de solicitação pode ser diferente conforme o visto e em alguns casos, conforme a cidade que você vai fazer a solicitação. Vou contar para vocês, dois cenários, e não se preocupem, aqui no no post você vai encontrar os sites do governo, caso o seu visto não se enquadre dentro daqueles cenários apresentados aqui.

O primeiro cenário é para expatriados que tem a redução de impostos para 30% (os impostos na Holanda são de 52%). Esta redução é para profissionais altamente qualificados que foram convidados a trabalhar na Holanda e recebem de incentivo para permanecer por aqui.

O visto é extensivo a toda família do expatriado,ou seja, cônjuge e filhos. Eu me enquadro neste cenário, sendo assim, a minha solicitação para a carteira de motorista foi mais simples.  Vamos ao passo-a-passo:

A carteira de motorista brasileira só tem validade por 6 meses na Holanda. Para você solicitar a troca da carteira é necessário fazer o pedido antes do término deste prazo.

Você tem que ter sido registrado na prefeitura da sua cidade e já ter feito o seu cadastro no DigiD com o seu BSN. Ou seja, os seus dados já devem está legalmente registrados no país.

Existem duas organizações na Holanda que são responsáveis ​​pela emissão de licenças de condução e realização de testes de condução:

RDV (Rijksdienst voor het Wegverkeer ) Autoridade de transporte rodoviário. A agência governamental do RDV emite licenças de condução, supervisiona o registro, como placas de matrícula e monitora a condição técnica dos veículos a motor.

CBR ( Centraal Bureau Rijvaardigheid) – Escritório Central de Certificação de Condução. A CBR é responsável pela realização de exames de condução na Holanda para todos os veículos a motor, incluindo carros, scooters, motos e caminhões.

  • Cenário de troca da carteira brasileira para Holandesa – Com redução de 30% de impostos1
  1. Levar na prefeitura da sua cidade documentos de identidade válidos, como passaporte, sua carta de condução e o seu BSN , foto e sua declaração da decisão de 30% emitida pelo Belastingdienst ( escritório de impostos).
  2. Pague a taxa do pedido ( diferente conforme a prefeitura)
  3. Sua solicitação será encaminhada para o RDW. Em algumas prefeituras a solicitação é feita on line e só depois é marcado um agendamento na prefeitura.
  4. Na maioria dos casos irão solicitar um teste de aptidão física e psicológica chamado aqui de VvG (verklaring van geschiktheid). Você solicita e paga através do site da CBR. Em alguns casos apenas o preenchimento do formulário (eigen verklaring) é suficiente, outros tem que ter uma visita ao huisarts.  – Caso queira saber mais sobre Huisarts clique aqui.
  5. Você pode obter o formulário VvG do seu município, na Mijn CBR (log in com seu DigiD) ou em determinados centros de expatriados e também direto na prefeitura.
  6. Depois de enviar seu formulário ao CBR, eles o notificarão quando seu VvG estiver registrado e irão informar caso precise de algum exame adicional.
  7. O processo demora no máximo três semanas os candidatos não podem dirigir enquanto o processo está em andamento.Vale lembrar que este procedimento é para classificação da carteira B, o processo é muito mais complexo para licenças para dirigir veículos pesados e comerciais.
  • Cenário onde o candidato tem que fazer o teste de condução – Visto por casamento com um cônjuge holandês

Neste cenário o canditado não tem direito de trocar a sua carteira e terá que passar pelas aulas de condução e fazer os exames teóricos na Holanda. Eu busquei esta informações direto no site do governo e também através de uma querida amiga que está passando por este processo.

Você tem duas opções neste caso: Fazer a solicitação do exame teórico, pagar as taxas e estudar sozinha(o) ou buscar uma escola. De qualquer forma para as aulas práticas você terá que contratar uma escola. Vamos ao passo-a-passo:

  1. Escolha um escola de condução, mas caso queira estudar a teoria sozinha (o), o livro está disponível em livrarias (on-line), ou nas lojas Bruna. Existem também CD-ROMs e cursos on-line. A minha amiga usou este livro da foto.

    Livro
    Fonte: Arquivo pessoal
  2.  Solicite um exame teórico com o CBR (disponível em inglês).
  3. Faça a prova teórica – Pode ser feita em outra língua, contudo é bem mais caro. O exame dura em torno de 45 minutos e tem perguntas sobre regras de trânsito, reconhecimento de perigo, e compreensão do tráfego. Se você passar,poderá ir para o passo seguinte.
  4. Entregar a declaração de saúde (conforme informei anteriormente).
  5. Solicitar um exame prático com o CBR (somente através da sua escola de condução).
  6. Faça o exame prático ( auto praktijk)
  7. Forneça seu certificado ao seu município para coletar sua carteira de motorista.

A prova prática demora em torno de 55 minutos e é feita em um dos centros de exames práticos autorizados, contudo a marcação do exame só poderá ser feita por uma escola de condução ou instrutor particular autorizado.

Você pode solicitar serviços adicionais como intérprete e também o faalangstexamen que é um exame mais longo com um examinador especialmente treinado para ajudar pessoas com ansiedade. Vale lembrar que cada serviço adicional tem um custo maior.

Se for bem sucedido, você receberá imediatamente um certificado de competência (Verklaring van rijvaardigheid ) e um certificado de aptidão física (Verklaring van geschiktheid ). Depois de apresentá-los ao seu município, você receberá sua nova carta de condução no prazo de cinco dias.

O post não tem intenção de abranger todos os cenários, mesmo porque existem diferenças entre vistos para cidadãos europeus e não europeus. Mas, espero ter ajudado  você a compreender o funcionamento e os primeiros passos para sair dirigindo na Terra dos Moinhos.

Te vejo no próximo post!

Beijocas

Significado da Sirene de alerta e dos códigos meterológicos da Holanda

No início do mês de janeiro de 2018 na cidade de Zeerijp em Groningen, ocorreu um terremoto durante a noite, com magnitude de 3,4 na escala Richter, um dos mais fortes deste de 2012. Imagino o pânico das pessoas ao ouvirem as sirenes de alerta.

Mas não foi o único caso de distúrbios naturais recentes. Em 2017, um total de 18 terremotos ocorreram no campo de gás de Groningen com uma magnitude superior a 1,5 na escala  Richter. Além disso, no último outono ocorreu uma grande tempestade de neve que gerou código vermelho, obrigando a todos ficarem em casa devido ao transtornos causado pelo clima.

E você? Sabe o que fazer no caso de ouvir as sirenes de alertas ou sabe o significado dos códigos meterológicos? Se a resposta for sim, Parabéns! Você está preparado para qualquer situação de emergência na Holanda. Mas se a sua resposta for não, leia o post até o final e descubra o significado de cada um.

Em toda primeira segunda -feira de cada mês, ao meio dia em ponto, ouve-se em toda a Holanda uma sirene que dura em torno de  três minutos. Isto é um teste de funcionamento de alerta para emergências ou calamidades, onde cada município testa a sirene da sua região.

As situações de emergência ou calamidades são: Clima extremo (ex:tempestades, onda de calor, etc), incidente de radiação (ex: alerta nuclear), epidemia, terrorismo, incêndio, explosão, inundação, terremoto e até ataque cibernético.

Em resumo, todo mês ocorrem os testes das sirenes e caso elas soem foram do horário padrão. Chegou a hora de pedir socorro para Deus! Calma! É apenas uma brincadeira!  Existem procedimentos que o governo orienta, que são:

  • Recolher-se ao um lugar fechado.Permanecer em casa, e caso esteja na rua entre em algum prédio ou lojas.
  • Fechar portas e janelas, pois, pode haver perigo químico.Desligue ou diminua a ventilação mecânica de sua residência,
  • Se você perceber que outros não ouviram a sirene, avise-os. Dê aos outros a oportunidade de se abrigarem junto com você,
  • Sintonize nas rádios locais e caso tenha internet disponível acesse o site crisis.nl
  • Se a sirene parar, a situação não é necessariamente segura ainda. Somente depois de ter ouvido a transmissão no rádio informando que está tudo certo, é que você pode assumir que o perigo passou.

Os Códigos meterológicos são usados pelo KNMI ( Koninklijk Nederlands Meteorologisch Instituut ) para classificar as situações climáticas e seguem um padrão internacional de cores fixados em verde, amarelo, laranja e vermelho.

Tabela códigos meterológicos
Fonte: Tabela elaborada por mim com base de dados do KNMI

Mas e se você passar por alguma emergência diferente da climática? Simples, basta ligar para o número 112 de qualquer telefone. E não se preocupe o atendimento poderá ser feito em inglês.

A atendente irá lhe questionar se a emergência se trata de incêndio, polícia ou ambulância e em seguinda a cidade e seu endereço.

Viver num país abaixo do nível do mar requer um pouco mais de atenção para medidas de segurança em casos de calamidade. Sugiro que conheçam os sites do governo holandês da onde retirei informações para escrever este post são eles o KNMI.nl e crisis.nl , afinal conhecimento nunca é demais.

Por exemplo, nesta pesquisa descobri que este procedimento de emergência das sirenes, foi criado desde a época pós Segunda Guerra Mundial e poderá vim a ser substituído por alerta em redes sociais a partir do ano de 2020.

Particularmente, acho as sirenes mais charmosas, mas enfim é a modernidade chegando. E você, gosta das sirenes ?

Conta pra gente!

Te vejo no próximo post,

Beijocas

 

 

Viajando por 40 cidades da Holanda: 8 ª cidade – Bussum

Bussum

Situada no sudeste da província holandesa de Noord- Holland pertencia a região de “Het Gooi”, porém a partir de 2016, juntamente com as cidades de Naarden e Muiden passaram a constituir o novo município de Gooise Meren.

Com os seus lindos bosques, na idade média era apenas um vilarejo de tecelãs e pastores de ovelhas. Em meados de 1379 tornou-se um ponto de encontro de artistas, escritores, editores, socialistas e intelectuais da época. A viúva de Theo Van Gogh, Johanna Bonger , instalou-se no local, no final do século XIX, com dezenas de pinturas de seu falecido cunhado Vincent Van Gogh.

Praça
Atualmente a cidade, apesar de pequena, tem um excelente centro comercial, com pouco atrativos turísticos em comparação a sua ilustre vizinha, a cidade de Naarden.

BussumCentro Bussum

Apesar de ser referência comercial para as cidades vizinhas, Bussum tem a tranquilidade de uma cidade pequena.

Mas uma característica chamou a minha atenção, a nítida polaridade social da cidade: ao norte grandes casas com lindos jardins representando o status social dos seus moradores, ao sul prédios com diversos apartamentos pequenos e algumas casas conjugadas. E ligando as duas partes, um centro comercial movimentado.

Óbvio que podemos encontrar está polaridade em qualquer cidade holandesa, conduto devido Bussum ser pequena as diferenças ficam mais perceptivas.

 

Arte de rua Bussum
Gostei do nome da obra!

O acesso a cidade é muito fácil, pois ela tem duas estações de trem: a estação Bussum e a estação Naarden- Bussum. Fica apenas 20 minutos do centro de Amsterdã, e é um perfeito passeio de bate e volta e de quebra você ainda pode conhecer a cidade de Naarden que eu já contei aqui no blog. Caso queira relembrar o texto e as fotos de Naarden clique aqui.

Espero que tenham gostado do passeio por Bussum.

Você já conhecia a cidade de Bussum? Conta pra gente!

Te vejo no próximo post.

Viajando por 40 cidades da Holanda: 7 ª cidade – Eemnes

Você já pensou em morar numa cidade minúscula no interior da Holanda? Se a sua resposta for sim, conheça Eemnes.

Eemnes faz parte da província de Utrecht com apenas 9.009 habitantes ( fonte: CBS ) e uma área de 33,67 km²(dos quais 2,64 km² de água). A sua localização central faz dela uma das cidades mais acessíveis da Holanda. Em média leva 78 minutos de carro à partir de Eemnes para qualquer outro ponto extremo da Holanda,  isso na teoria, pois na prática o mesmo trajeto através de transporte público demora em torno de 2 horas.

Praça Central Eemnes
Praça central da cidade

Ou seja, a sua realidade é de isolamento, pois a cidade conta apenas com uma linha de ônibus e não possui linhas de trem. O acesso mais fácil é pela rodovia A27. Mas este isolamento fez dela um típico exemplo de um vilarejo holandês com suas casinhas pitorescas em volta de uma praça com pequenos canais que cortam a cidade.

Canais na cidade de Eemnes

Mesmo Canal de Eemnes no gelo
Mesmo canal com diferença de dois dias.

No seu entorno existem diversas fazendas onde podemos ver as originais vacas holandesas. Por já ter sido uma referência na produção de leite, a vaca é o símbolo da cidade, representada por diversas esculturas.

Vaquinhas de Eemnes
Escultura principal da cidade – Vaquinhas congeladas

A cidade não tem atrativos turisticos, e sim beleza natural. Caso esteja de passagem pelas próximidades vale a visita. Seguem algumas fotos para você conferir:

 

Já conheciam esta cidade ? Conta pra gente.

Espero que tenham gostado de viajar comigo!

Te vejo no próximo post!

Beijocas

Viajando por 40 cidades da Holanda: 5 ª cidade – Huizen e 6 ª cidade – Laren

O projeto Viajando por 40 cidades da Holanda foi criado com objetivo de divulgar e mostrar as belezas deste país encantador. Além de proporcionar um aperfeiçoamento da minha paixão, a fotografia.

Apesar das surpresas que a vida nos oferece que às vezes nos força a mudar o rumo, tenho a certeza que este projeto me levará a um crescimento pessoal incrível. Ficarei feliz em ter vocês junto comigo nesta caminhada.

Por isso, não deixem de acompanhar o blog, a Fanpage e o Instagram, pois pretendo fazer vídeos das minhas visitas.

Mas chega de papo e confiram mais duas cidades visitadas.

5 ª cidade – Huizen

Huizen tem um perfil mais moderno e urbano que as cidades ao seu entorno. Esta antiga vila de pescadores, atualmente é o centro comercial da região, apesar de não ter estação de trem, a cidade possui uma variedade de linhas de ônibus.

A marina da cidade e o centro histórico valem uma visita, além disso você pode visitar o o “Het Huizer Museum” que tem várias curiosidades do século XVIII, epóca que a cidade era uma referência na frota de pescas do País.

No porto da cidade existe diversos cafés e restaurantes, onde você pode apreciar a vista e se deliciar com um momento de paz e quietute do interior holandês.

Ao longo da cidade você irá ver mais de 35 esculturas de diferentes artistas holandeses. A prefeitura disponibilizou na internet um roteiro especial para o visitante poder observar as esculturas de arte pública, essa trilha passa pelo centro histórico e por toda a área nova. Por este motivo Huizen é considerada uma galeria de arte ao céu aberto.

Conheça um pouco da cidade nas fotos a seguir:

6 ª cidade – Laren

Requinte, luxo e sofisticação, são palavras que definem a cidade de Laren. Com um dos metros quadrados mais caros da Holanda, a cidade conseguiu encontrar um equilíbrio entre presevar suas características de aldeia e prosperar através do seu famoso comércio de luxo. O município tem 11.079 habitantes (fonte: CBS) e tem uma área de 12,37 km². Laren, juntamente com a vila vizinha, Blaricum, é um dos municípios mais ricos da Holanda.

Típica vila holandesa com uma linda praça central e uma exuberante Basílica de São Jõao. Nas suas ruas podemos encontrar diversas lojas de marca de renome, além de cafés e restaurantes sofisticados. No verão funciona uma barraca do século 19 que vende as tradicionais panquecas holandesas “os poffertjes “. E no inverno a praça ganha uma pista de patinação no gelo.

A cidade parece sair de contos de fadas, cercada por muito verde, estimula longos passeios de bicicleta ou uma caminhada por diversas trilhas que a cercam.

As construções arquitetônicas da cidade remetem à história da arte holandesa. A cidade foi um dos cenários para o filme holandês  “Gooishe Vrouwen”, uma versão holandesa de “Sex and the City” (minha opinião).

A melhor forma de acesso à cidade é de carro, pois não existe estação de trem e a única linha de ônibus tem horários bem espaçados. Vejam algumas fotos:

 

Espero que tenham gostado de viajar comigo.

E você, já conhecia estas cidades?

Te vejo no próximo post!

 

 

Papo com a Mel – Entrevista com uma das organizadora do Brazilliaans Festival

Quando se muda de país temos a necessidade de contar tudo que descobrimos do nosso novo lar. Porém, considero importante ouvir as histórias de outras pessoas que passaram por essa experiência.

Surgiu a ideia do “Papo com a Mel”, este espaço será dedicado a contar histórias curiosas e interessantes, sobre diversos assuntos como: superação, realização pessoal, reinvenção profissional, em suma, experiências diferentes das minhas, um outro olhar sobre a vida fora do Brasil.

Eu conheci uma menina sorridente que com toda sua simpatia, me contou sobre o seu esforço de adaptação na Holanda, e entre papos de amigas com a sua vizinha, conseguiu se reinventar profissionalmente. Vamos agora conhecer a Bárbara Marchiori Biel uma das organizadoras do evento Braziliaans Festival.

Na próxima semana teremos mais uma edição do Braziliaans Festival, um evento gastronômico,  que traz a identidade da cultura brasileira para a Terra dos Moinhos.

Entrevista:

Barbara
Foto arquivo pessoal Bárbara
  1. A quanto tempo você mora na Holanda? E o que te levou a vir a mora aqui?

Bárbara: Eu moro na Holanda há quase 4 anos e o motivo pelo qual eu decidi vir para Holanda foi para poder viajar na Europa e conhecer novos lugares. Após 2 anos morando nos EUA eu achei que estava na hora de uma mudança e a Holanda foi a escolhida. A princípio eu vim como Au pair, após conhecer meu marido resolvi ficar.

  1. Você já trabalhava com gastronomia no Brasil? Qual é a sua profissão?

Bárbara: Eu amo cozinhar e cozinhava para amigos e familiares. Porém, morando fora do Brasil, após um longo tempo aprendi a apreciar a culinária brasileira com todos os seus temperos. Eu sou formada em Matemática e atualmente estudo Administração de Empresa na Universidade de Den Haag.

  1. Qual é a importância da gastronomia na sua vida?

Bárbara: Eu sou bisneta de italianos e comida foi sempre um elo de conexão para toda família.  Uma forma que os meus bisavós encontraram de manter unida uma família com mais de 13 filhos, foi através dos tradicionais almoços de domingo. Para mim gastronomia vai além da comida, significa partilha e união. Especialmente morando longe da família.  Penso que é muito importante termos algo para nos mantermos unidos e nada melhor que a gastronomia para esta função.

  1. Como surgiu a ideia de montar o Festival Gastronômico Brasileiro na Holanda?

Bárbara: A ideia surgiu não tendo a comida como foco, mais sim brasileiros que moram aqui na região de Utrecht querendo mostrar seus trabalhos artísticos. Em 2015, fizemos um bazar em minha casa com a participação das empresas Brasuzy, Beyond Arte with Love, Ubiracy Santana e My Tasty Brazil. Contudo, o sucesso maior foi para as coxinhas do My Tasty. Então decidimos ampliar o evento para o Braziliaans Festival que atualmente engloba toda a cultura brasileira como arte, música e, lógico, a gastronomia.

  1. Quantas pessoas estão envolvidas na organização do evento?

Bárbara: Neste momento somos duas pessoas organizando o Braziliaans Festival aqui na Holanda. Sou eu e a Camilla Groen, da Groen and Co. Bakery Shop, além de contarmos com uma colaboradora no Brasil para a parte visual.

  1. Qual é o critério de participação dos expositores? Somente brasileiros podem expor?

Bárbara: Não temos um critério específico, apenas pessoas que queiram mostrar o seu trabalho e ajudar a comunidade brasileira a mostrar a sua cultura. Porém, priorizamos a diversidade sendo assim, tentamos ter apenas um expositor por produto.

  1. Que tipo de comida e atrações irão ter no festival?

Bárbara: Para esta edição, teremos novas participações de diversos segmentos.

Culinária

Doces típicos – Quitutes da laia

Petit Brasil – Churrasquinhos (com direito a picanha e coraçãozinho)

Dorys – Acarajé

Além dos tradicionais expositores, com as comidas típicas: pastéis, tapioca, coxinhas, feijoada, brigadeiros gourmet, caipirinha, guaraná e muito mais

Produtos

Trade Brazyl – Oferecendo produtos Natura, Boticário, Avon e I’Ccitane Brasil.

Conhecimento

Talent Talen – Escola de idiomas

Música

Para alegrar e contagiar mais ainda o evento, teremos Trio MPBossa com Lilian Vieira, Alaor Soares e Kees Gelderboom cantando MPB e Bossa Nova. E as crianças poderão se divertir através das pinturas faciais da Clelia.

  1. Na sua opinião qual é a contribuição deste evento para a comunidade brasileira na Holanda?

Bárbara: Em minha opinião este evento é muito benéfico para a comunidade brasileira, pois, prioriza a integração e ajuda na adaptação em um novo país, além de manter a nossa cultura viva. E também é uma grande oportunidade de exposição de profissionais brasileiros, principalmente da região de Utrecht que atualmente é pouco explorada.

  1. O público alvo do evento são brasileiros que moram na Holanda, mas na sua opinião os holandeses tem apresentado maior interesse pela cultura brasileira em especial a gastronomia?

Bárbara: Acreditamos que o público alvo sejam os brasileiros, mas definitivamente vemos um interesse não somente dos holandeses, mas  de outros estrangeiros que moram na região e apreciam conhecer costumes de diferentes culturas.

  1. O evento tem o tema “ Tardezinha Bossa Nova e MPB”. Por que a escolha desse tema?

Bárbara: Na primeira edição tivemos uma roda de samba e achamos que seria legal a cada evento trazer algo novo e diferente, homenageando os vários ritmos da nossa cultura.

  1. Qual o local e data da segunda edição do Braziliaans Festival?

Bárbara: Nosso evento será no dia 12 de Novembro em Vleuten na província Utrecht à partir das 12 horas. Venham e aproveitem este evento que foi feito com muito amor e carinho para todos vocês.

Endereço: Buurtcentrum, De Schakel Schoolstraat, 11 – Vleuten – Utrecht

Espero que tenham gostado da entrevista.

Te vejo no próximo post! 🙂

 

 

 

Viajando por 40 cidades da Holanda: 4° cidade – Naarden

A característica mais famosa da cidade de Naarden é sem dúvida a sua forma estrelar. Uma das mais bem preservadas cidades medievais da europa, composta por 6 pontas ou bastiões. A definição de bastião é de posto avançado para a defesa de um território.
E ao caminhar sobre estes bastiões e observar o cinturão circuntante de água temos a nítida impressão de termos voltado ao século XVII. A estrutura da fortaleza é fascinante.
Segundo a Wikipedia, a  fortaleza faz parte da New Holland Waterline que é um conjunto de estruturas defensivas concebido por Maurício de Nassau no início do século XVII e implementado pelo seu meio-irmão Frederico Henrique.
Eles perceberam que inundando as zonas baixas das cidades conseguiriam uma excelente defesa contra os inimigos, formando ilhas para dificultar o movimento de potenciais invasores. Sorte a nossa que atualmente podemos ver obras tão maravilhosas. 
Portal
Fonte: Arquivo pessoal
Naarden
Fonte: Google imagens
Naarden tem vários pontos que vale a visita, mas vou colocar os mais turísticos:
 
Museu da Fortificação Holandesa
Localizado no bastião Turfpoort, tem diversos artefatos dos anos de 1350 até 1945 expostos, além do visitante poder experimentar a sensação de entrar dentro de uma fortaleza medieval. 
 
A igreja St. Vitus ou Grote Kerk 

Igreja St.Vitus

Se você assim como eu, adora visitar igreja. Não deixe de ir nesta basílica gótica construída entre os séculos XIV e XV. Ela apresenta como um dos seus atrativos, as famosas abóbadas de madeira com pinturas século XVI. Nos verões europeus existem diversos concertos de música dentro e fora desta igreja. Em frente desta igreja fica a estátua de Comenius.
Comenius

 

Museu Comenius

Museu Comenius

 

Onde está localizado o museu foi uma antiga igreja do mosteiro de Naarden. Lá está enterrado o famoso filósofo e teólogo tcheco Jan Amos Comenius, em 1670, na verdade era para ter sido enterrado em Amsterdã mas não havia dinheiro na época. Devido a este contexto histórico hoje a cidade recebe muitos peregrinos da República Tcheca e é  retratada num documento histórico chamado da carta das 200 coroas tchecas.

 
Casa espanhola
Casa Espanhola
Uma das últimas construções medievais dentro da cidade, na conquista de Naarden pelos espanhóis. Desde lá, o edifício serviu como pousada, capela, padaria, prefeitura e agora museu. Na sua fachada apresenta uma representação dessa época de batalhas.
 
Camâra Municipal
Câmara Municipal
Datada do ano 1601, seu edíficio é um exemplo das construções renascentistas. No salão da Câmara Municipal encontra-se uma maquete da cidade onde pode se observar claramente o formato estrelar.
 
Passeios em torno de Naarden.
O visitante pode apreciar a natureza de perto através de um passeio de barco pela a cidade de  Naarden. E ainda fazer uma trilha pela  floresta Naardebos que está localizada entre Naarden e Muiderberg.
Lembra do parque infantil Oude Valkeveen que já falei no blog? Se não lembrar clica aqui. Acredita que esse  parque, que as minhas crianças amaram, também está localizado em Naarden? 
Do lado de fora da fortaleza em torno de um bastião, existe uma mini fazendinha onde as crianças podem ter contato com as animais e alimentá-los. 
A cidade tem diversos restaurantes renomados e maravilhosos cafés, ou seja não irá faltar opções para você e sua família se divertirem.
 
Como chegar?
Apenas 20 quilometros da capital Amsterdã, a cidade é de fácil acesso de carro ou de trem. De carro a via de acesso é através da estrada A1.
De trem você deve buscar pela estação Naarden-Bussum. Existe trem do aeroporto Schipol até a estacão da cidade. Já o trajeto da estação central de Amsterdã até a estação Naarden-Bussum dura em torno de 25 minutos.
Vale lembrar que a estação de trem Naarden- Bussum fica fora da cidade fortificada chamada de Naarden Vesting, mas este caminho de 1,9 km pode ser feito a pé ou de ônibus.
Naarden consegue ser româtica, histórica, aconhegante além de linda. Com tantos atributos eu e minha família à escolhemos para ser o nosso próximo lar. Ou seja, iremos nos mudar em breve para esta cidade. Mas isso é um assunto para um próximo post.
 
Espero que tenham gostado de passear comigo por Naarden.
Não esqueça de ver a galeria de fotos!
Te vejo no próximo post.

Conhecimento artístico na Holanda e os 100 anos do movimento De Stijl

As minhas visitas a museus no Brasil não eram frequentes, até porque na cidade onde eu vivia não tinha muitas opções para visitar. Porém, na Terra dos Moinhos ir ao museu é algo muito comum, tão comum como ir ao cinema, e não faltam opções.

O meu aprendizado cultural aumentou bastante com essas visitas. O mais interessante é que em vários museus têm atividades para crianças, tornando-se uma excelente opção de passeio, principalmente no inverno.  Os meus filhos tiveram contato com movimentos artísticos que eu na idade deles, nem sonhava que existia.

Um desses movimentos está completando 100 anos é o “Movimento De Stijl” e estão acontecendo comemorações em toda a Holanda, por isso o nosso grupo de Blogueiras Brasileiras na Holanda resolveu contar para vocês através desta blogagem coletiva o que está rolando na cidade de cada uma ou nas suas proximidades.

Antes de mais nada, tive que buscar saber o que era o movimento e os seus principais representantes, então venha comigo que vou lhe contar o que descobri.

O grande representante desse movimento foi Piet Mondrian (1872-1944) cujo o nome remete imediatamente a imagem da sua obra com retângulos de cores primárias delimitados por grossas linhas pretas.

Modrian era um pintor clássico holandês que produzia paisagens com cores escuras e sombrias, próprias da arte do século XIX. Contudo, por volta de 1902 começou a produzir obras com traços claros e com cores primárias.

Optimized-IMG_5940
Obra de Mondrian antes do movimento em 1892

Dentro da visão de Mondrian a pureza das cores primárias e das superfícies planas das formas era uma nova línguagem que transcendia a pintura e deveria atuar em todos os campos da arte. `A partir desta filosofia surge a revista De Stijl (O Estilo),1917-1928, que reúne um grupo de artistas plásticos, pintores, designers e arquitetos defendendo uma utópica harmonia universal das artes.

Segundo dados da wikipédia, o Stijl (ou Neoplasticismo, nome dado por Piet Mondrian à sua filosofia artística) foi um dos grandes marcos da arte moderna, o “mais puro dos movimentos abstratos”. O movimento, de origem e essência holandesa permaneceu ativo e coeso por menos de quinze anos, mas sua influência pode ser sentida nos dias atuais, particularmente na arquitetura, que privilegia espaços abertos, luminosidade, ventilação e funcionalidade, rompendo com convenções arquitetônicas da época e também no campo da pintura com traços retos e vibrantes.

Eu visitei a casa de Mondrian na linda cidade de Amersfoort que vocês conheceram aqui no blog, que foi transformada no museu Mondrian Huis. O museu tem diversas instalações interativas que contam a vida do pintor e todas as suas fases de descobertas até chegada ao movimento revolucionário do Neoplasticismo.

No final do passeio existe uma sala composta de peças de lego nas cores primárias onde  as crianças podem soltar a imaginação e criar os seus próprios quadros ao estilo Mondrian. Enquanto os adultos tomam um delicioso café no espaço reservado do museu ou compram um dos diversos livros sobre o movimento.

Logo na entrada da cidade tem uma grande cadeira representativa do movimento, e por toda Amersfoort existem obras com referências ao assunto. Contudo, se quiser ir numa cidade perto de você confira a relação abaixo de diversas blogueiras brasileiras que vivem na Holanda e participaram desta blogagem coletiva.

Beyond Wind Mills – Eindhoven

The Nerdylands – Leiden e breve menção a Haia

Little Jujuba – Amersfoort

Holandesando – Casa Rietveld Schroder em Utrecht

Por onde anda Fabi? – O Movimento / De Stijl – Utrecht

Os meus filhos não falam holandês e irão para uma escola holandesa. E agora?

A resposta a esta pergunta é bastante complexa, pois envolve vários outros fatores, como o tipo de escola, a alfabetização da criança na língua portuguesa, a idade da criança, as características emocionais da criança, os motivos que levaram a família a se mudar, a adaptação delas no país.

Devido a tantas particularidades é impossível ter uma resposta que abrange todos os cenários. Então, resolvi colocar a minha experiência como mãe de dois, entre 5 e 7 anos, que foram para uma escola católica de ensino básico tipicamente holandesa com quase nenhum estrangeiro.

Na Holanda existem escolas especiais preparadas para o recebimento de crianças estrangeiras, onde elas permanecem por um ano com intuito de aprender a língua neerlandesa. Entretanto, as minhas crianças não foram, pois não havia uma escola deste tipo nas proximidades da nossa residência.

O funcionamento do sistema de ensino holandês e os diferentes tipos de escola que existem no país, serão assuntos no meu próximo post, mas agora vou colocar perguntas básicas que podem ajudar no cotidiano da vida escolar,  ou seja, este texto será em formato de perguntas e respostas, sobre dúvidas que eu tive e que outras mães amigas tiveram ao chegar na Terra dos Moinhos, com crianças em idade escolar.

Vale ressaltar que são experiências pessoais. Não quero em hipótese alguma determinar que as respostas são iguais para todas as família. Quero convidar  você leitor, que tem alguma pergunta que não esteja nesta relação que  me envie a sua questão para que eu a inclua numa nova versão deste post.

Após a escolha da escola e da matrícula feita, chegou o grande dia, a volta `as aulas. E agora?

Qual o material escolar comprar? O que devo levar?

Não tive que comprar nenhum material escolar como lápis, caderno. As minhas únicas aquisições foram as mochilas e as lancheiras. Que podem ser encontradas nas grandes lojas de departamento ou de brinquedos como: Xenos, Hema, Blokker, Action, Intertoys.

Qual comida eu coloco na lancheira?

A escola dos meus filhos não fornece comida, ou seja, os pais devem providênciar dois lanches para o dia. O primeiro composto de uma fruta e uma bebida que pode ser água ou suco. O segundo lanche deverá ser mais completo, pois em alguns casos será o substituto do almoço, devido ao horário de permanência na escola.

Na lancheira, eu coloco pão com requeijão, queijo, presunto, pepino, tomate, cenoura, pistache, amêndoas, entre outros alimentos e mais uma bebida.

Cada escola tem regras de alimentação e existe uma lista de produtos proibidos.Sugiro que você pergunte no ato da matrícula onde encontrar as regras da sua escola. E lógico, considere também o gosto alimentar do seu filho.

E se a criança tiver fome e sede ou quiser ir no banheiro?

Na sala da minha filha de 5 anos existem placas com desenhos, onde a criança pega e mostra quando tem vontade de ir no banheiro. Mas, mesmo assim, eu avisei as professoras no primeiro dia de aula o significado das palavras “xixi” e “cocô”, “banheiro”, “água”.

Para o meu filho de 7 anos eu traduzir pequenas frases referente as necessidades acima e coloquei em pequenos papéis, era só ele mostrar para a professora. Em 3 dias já não precisou mais do papel.

Como é a comunicação do professor com os pais?

No Brasil as escolas usavam agendas individuais para o contato com os pais, aqui usam o grupo de whatsapp. Mas são apenas para informativos da professora (o) , ou seja, nada de passar informação que não esteja dentro do contexto escolar, caso contrário poderá receber uma mensagem até rude de outros pais. Alguns pais criam grupos de integração entre os pais da sala de aula, os chamados hulpouders, contudo permanece a regra da ponteração do assunto.

 Para que serve os sacos grandes para colocar as mochilas?

Chamados de “licesafe”, são para evitar piolhos. Nesta terra fria é uma praga muito comum, pois piolhos adoram os ambientes quentinhos da escola, por isso existem grupos de mães voluntárias que fazem um check up na cabeça do seu filho ao chegar de férias e caso encontrem os malditos, entra em ação o protocolo de piolhos. Eu ainda não tive essa experiência. Ufa!!!

 O meu filho terá uma atenção especial?

Nos primeiros meses poderá ter um professor ou um aluno do último ano que irá ficar algumas horas com seu filho para ensinar palavras básicas, porém, assim que a criança conseguir se comunicar essa atenção extra acaba.

O que fazer quando a criança precisa faltar a aula por doença ou problema familiar?

Avise antes ou no dia durante o período escolar. Explique o motivo pessoalmente, por telefone ou e-mail. As escolas/ prefeituras aplicam uma multa em caso de ausência não justificada.

Como faço para acompanhar o desenvolvimento do meu filho? Tem dever de casa?

Cada escola tem um calendário de reuniões individuais que duram 10 minutos, onde os professores falam sobre o desenvolvimento e dificuldades do seu filho.  Sugiro que compareçam a todas, pois a participação dos pais contam muito para as escolas holandesas. Os deveres de casa são mais comuns a partir do grupo 5 ( crianças com 8 anos).

Como funcionam os passeios escolares?

Normalmente não há custos extras para os pais e quando existe é utilizado do fundo de arrecadação da taxa anual de manuteção escolar ( vou contar mais sobre isso no próximo post). Eu paguei apenas um passeio dos 5 que o meu filho teve durante o ano.

Cuidados pós escolar, como funcionam?

Algumas escola tem um intervalo na hora do almoço, e depois retomam as aulas até as 15 horas. Outras vão direto até `as 14:30. Se você não puder buscar ou cuidar do seu filho fora do período escolar, peça indicação da escola sobre as empresas parceiras para cuidado pós escolar. Estas empresas cuidam do seu filho mediante um pagamento mensal ou anual.

E acima de tudo tenha paciência, o ínicio pode parecer difícil, mas adaptação acaba acontecendo.

Te vejo no próximo post!  E boa volta`as aulas!

Beijocas

Parque de diversão na Holanda – Oud Valkeveen

Já imaginou ir num parque de diversão onde aqueles brinquedos super radicais estão em tamanho menores? Um parque onde você pode realizar a vontade daquele seu pequeno que sonha em ir na montanha russa, mas ainda não tem tamanho para ir numa convencional.

Eu achei esse parque e fica numa área verde maravilhosa com direito a laguinho com patinhos e praia particular.  O nome do parque é Oud valkeveen fica  entre as cidades de Naarden e Huizen, com mais de 95 anos de existência ele tem mais de 50 atrações.

Tem teatro e shows com os mascotes do parque e até um mini cinema. Na maioria dos brinquedos a altura mínima é 1 metro, ou seja diversão garantida para os pequenos. Mas, os bebês também tem um espaço reservado para eles, o chamado “Miniland”.

O parque tem ainda trenzinho, brinquedos infláveis e área para piquiniques. Os adultos podem contar com uma excelente infraestrutura com lanchonete, restaurante e banheiros.

Seguem algumas atrações que os meus pequenos mais gostaram e é claro eu também.

Achtbaan

Uma mini montanha russa para crianças a partir de 1 metro de altura sob orientação de um adulto.

Optimized-IMG_6337

Zwierezwaai

O Zwierezwaai é uma espécie de sombrinha voadora, do ponto  mais alto você tem uma visão de todo o parque infantil.

Optimized-IMG_6323

Mega Glijbaan

Um escorregador de 15 metros de altura onde crianças de 1.05m a 1.10m podem brincar sob orientação de um adulto.

Optimized-IMG_6318

Mas a diversão continua, tem muita coisa legal para fazer, confira nas fotos. E caso queira se programar para ir visitá-lo, olhe a programação das datas de funcionamento no site do parque neste link Oud Valkeveen.

O preço é bastante atrativo eu paguei apenas 10,50 euros por cada pessoa, porém existe um cartão fidelidade, caso você more na Holanda e queira ir mais vezes durante o ano.

Espero que tenham gostado da dica.

Te vejo no próximo post. Mas antes confira mais fotinhas do parque.