As 3 coisas que aprendi vivendo na Holanda

O texto de hoje é fruto de uma postagem coletiva do grupo Blogueiras Brasileiras na Holanda e trás uma reflexão muito legal do que aprendemos depois de mudar para o País. Eu poderia listar várias coisas, mas vou escolher apenas 3 que mudaram, não apenas o meu comportamento, mas minha percepção de mundo.

– Aprendi a acreditar que tudo pode ser possível

Mudar para a Holanda não foi um propósito de vida e sim uma consequência de vários fatores. O medo e a insegurança fizeram parte de todo o processo. Achei que seria impossível me adaptar aos novos costumes, língua e principalmente ao clima, mas sabia que precisava. Então, busquei reagir e encarar a mudança com determinação.

De repente, as coisas aconteceram e passei a não ter medo do desconhecido. Estudei holandês sozinha, me tornei voluntária num centro comunitário, mesmo com inglês básico. Comecei a estudar profundamente fotografia, um hobby que tenho como meta transformar em profissão. Fiz amizades com pessoas oriundas de diversas partes do mundo como: Líbano, Túrquia, Rússia, Canadá, Argentina, México, Alemanha e principalmente Holanda.

Ingressei numa plataforma digital chamada Brasileiras pelo Mundo, composta por mais de 100 mulheres brasileiras que moram em várias partes mundo e que têm como propósito o empoderamento feminino. Aprendi com as experiências delas e por participar desse grupo irei fazer esse ano a minha primeira viagem internacional sozinha, vou para Londres para participar de um Encontro Anual dessas mulheres, representando a Holanda. Comecei a relatar as minhas experiências no meu blog Melissa na Holanda e tais informações passaram ajudar pessoas desconhecidas e essa sensação meu trouxe um sentimento de paz enorme.

Percebi que o desafio da mudança é gratificante, pois te tira do conforto do cotidiano e te obriga a evoluir. Por isso, eu recomendo a se arriscar, mesmo que o início pareça improvável, saiba que o impossível é somente um ponto de vista.

– Aprendi a dar valor a simplicidade

Cheguei em pleno inverno holandês, e tinha apenas um casaco para frio rigoroso. E estava incomodada em  pensar que as pessoas sempre me viam com o mesmo casaco. Mas, por falta de grana e de tempo ainda não tinha comprado outro e comentei com a minha vizinha holandesa que não via a hora de ir numa loja.

A resposta dela foi a minha primeira lição de simplicidade deste povo: “Por que? Este não te esquenta? Por que precisa de mais de um?”. Parei e refleti: Verdade! Aquele atendia perfeitamente as minhas necessidades. E naquele momento me senti ridícula e a preocupação acabou. Certas questões impostas pelo meio que nos cerca, perdem o valor quando passamos a questioná-las com o olhar mais criterioso.

Coisas simples como: acompanhar a beleza e o desenvolvimento de uma árvore durante as quatros estações do ano; fazer cupcakes para os aniversários dos meus filhos sem me preocupa com a perfeição da forma; sentar para bater papo com amigas no meio da tarde. Saborear pratos diferentes; tomar uma taça de vinho para comemorar a chegada do sol; cuidar do jardim ao chegar da Primavera. Tudo passou a fazer sentido e a proporcionar uma sensação de bem estar incondicional.

Em suma, entender que a felicidade está nos pequenos momentos e que estes juntos formam a vida que vivemos e escolhemos viver.

– Aprendi a importância das relações humanas

A distância do Brasil e a necessidade de informar aos parentes e amigos como estavam as minhas novas descobertas do outro lado do Atlântico me aproximou das redes sociais. E ao navegar neste novo mundo virtual encontrei mulheres com histórias semelhantes a minha.

Diversidade é a palavra chave para descrever esse grupo de brasileiras que saíram do Brasil por diferentes motivos para desbravar a Terra dos Moinhos. E que, assim como eu, também através de textos fotos e vídeos inspiram pessoas e compartilham os sabores e dissabores de serem expatriadas.

E foi através desta afinidade de pensamentos que resolvi reunir essas mulheres. E mesmo sem conhecê-las, passei a contatá-las e tive a grata surpresa de saber que a essência da relação humana transborda o mundo virtual.

Pessoas maravilhosas que agora fazem parte da minha vida e juntas formamos o grupo Blogueiras Brasileiras na Holanda.

Este texto é resultado do nosso primeiro projeto juntas e com muita alegria gostaria de compartilhar com vocês não somente o que aprendi ao mudar para a Holanda, mas a visões múltiplas de vários olhares femininos.

Aqui você irá encontrar os textos sobre aprendizado das seguintes blogueiras:

Ana de Amsterdam!

Bailandesa.nl

Holandesando.com

Beyond Windmills

The Nerdylands

Little Jujuba

Diário de Prato

Holandices

Blog Metamorfose Fashion

Vivendo na Holanda by Carol Alves

Outra Youtuber que também fala sobre a Holanda é a:

Joyce Aurora

E você, o que aprendeu no último ano da sua vida? Conta pra gente!

Beijocas!

Te vejo no próximo post.

4 comentários em “As 3 coisas que aprendi vivendo na Holanda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s